Jacareí – Em vigência desde de 11 de novembro, a Reforma Trabalhista trouxe um acréscimo ao artigo 371 da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), relacionado à fixação de honorários de sucumbência.
O novo trecho, incluído na lei sob a letra A, determina que a parte derrotada na ação, seja empresa ou trabalhador, deve pagar aos advogados da parte vencedora entre 5 e 15% do valor liquidado da decisão do juiz, ou da vantagem econômica conseguida com a sentença ou ainda do preço atualizado a ser cobrado pela causa.

Para a Dra. Luciana Dessimoni, especialista em Direito Trabalhista no Nakano Advogados Associados, de São Paulo/SP, a medida deve aumentar a precaução por parte dos envolvidos no procedimento, uma vez que a perda da causa pode gerar prejuízos. “Entendo que haverá mais cautela das partes reclamante e reclamada, para que aquele que pedir honorários apenas o faça de boa-fé, buscando reparação de direitos realmente violados e evitando ações que possam não ter êxito, face ao possível aumento da condenação”, afirma a advogada.

Para ver a matéria completa clique no link abaixo:

http://valecarreiras.com.br/pagina-inicial/todos-os-artigos/item/851-parte-perdedora-em-a%C3%A7%C3%A3o-trabalhista-dever%C3%A1-pagar-honor%C3%A1rios-aos-advogados-da-parte-ganhadora,-diz-reforma.html