“Um documento assinado por ambos (empregado e empregador), informando sobre a demissão pode ser utilizado, porém, se houver a discussão sobre a sua nulidade, o empregado deverá provar que houve um erro induzido na declaração da sua vontade, ao que chamamos de vício de consentimento. Ou seja, cabe ao empregado provar que a sua vontade – por erro, ignorância ou coação – foi manifestada de uma forma que não era a sua real pretensão”, declara a advogada.

Para ver a matéria completa clique nop link ao lado: http://bit.ly/2jhApSK