TJSP mantém decisão para criação de Serviços Residenciais Terapêuticos em São Caetano

CCJ aprova proteção para animais em situações de desastres ambientais
CCJ aprova proteção para animais em situações de desastres ambientais
10 de fevereiro de 2020
4ª caminhada pelo AUTISMO na Av Paulista
4ª Caminhada Conscientização do Autismo Av. Paulista
14 de fevereiro de 2020
Decisão

Decisão

Decisão de primeira instância foi mantida.

A 8ª Câmara de Direito Público do Tribunal de Justiça de São Paulo manteve decisão da 3ª Vara Cível de São Caetano do Sul, que determinou a criação de Serviços Residenciais Terapêuticos (SRTs) no município. Os SRTs são unidades de acolhimento, atendimento e tratamento de pessoas com deficiência mental. O Ministério Público do Estado propôs ação civil pública contra a Prefeitura, alegando que a cidade contava com apenas dois Centros de Atenção Psicossocial (CAPS), insuficientes para atender a população que busca serviços públicos na área. Após julgamento em primeiro grau, a Municipalidade recorreu alegando litispendência, pois há mais um processo, proposto por dois cidadãos.

O relator do recurso, desembargador Antonio Celso Faria, ratificou a decisão de primeiro grau. Destacou que a alegação de litispendência não procede, pois a ação proposta pelo Ministério Público objetiva uma tutela coletiva, ao contrário da outro processo, que busca a inclusão de dois jovens em residência inclusiva para pessoas com deficiência. “Os Serviços Residenciais Terapêuticos destinam-se a pessoas com transtornos mentais que não possuem vínculos familiares ou sociais, visando a presente demanda a implementação de infraestrutura adequada, não se constatando as mesmas partes, mesma causa de pedir e mesmo pedido, haja vista que as pretensões são evidentemente distintas”, escreveu o magistrado em seu voto.

Participaram do julgamento, que teve votação unânime, os desembargadores José Maria Câmara Júnior e Percival Nogueira.

Fonte: TJSP

× Converse pelo WhatsApp