Médicos questionam lei que aumentou jornada de trabalho sem alteração de vencimentos

TRF4 decide que “pet shop” não é obrigada a contratar veterinário
TRF4 decide que “pet shop” não é obrigada a contratar veterinário
12 de novembro de 2019
Congresso Reforma Previdência
Congresso promulga reforma da Previdência; novas regras da aposentadoria estão em vigor
17 de novembro de 2019
Médicos questionam lei que aumentou jornada de trabalho sem alteração de vencimentos

Médicos questionam lei que aumentou jornada de trabalho sem alteração de vencimentos

A Federação Médica Brasileira (FMB) questiona no Supremo Tribunal Federal (STF) a Lei estadual 3.490/2019 do Tocantins, que, ao instituir jornada de trabalho especial dos médicos da Secretaria de Saúde local, aumentou a quantidade de plantões, mas manteve os vencimentos dos profissionais. Na Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI 6243), a federação argumenta que a majoração da jornada sem a correspondente retribuição financeira fere o princípio constitucional da irredutibilidade de vencimentos.

Outro argumento é o de não observância do princípio da simetria dos processos legislativos federal e estadual na conversão de medida provisória na lei questionada. A entidade sustenta que, de acordo com a Constituição da República (artigo 62), as medidas provisórias perderão a vigência se não forem convertidas em lei no prazo de 60 dias, com possibilidade de prorrogação. No entanto, a Constituição do Tocantins (artigo 27, parágrafo 3º) estabelece prazo diferente (30 dias) para que as MPs não convertidas percam a eficácia.

A FMB alega ainda que a fixação da jornada de trabalho e dos demais componentes de horas de trabalho e de remuneração por lei isolada, e não por meio do regime jurídico dos servidores estaduais, desrespeita o artigo 39 da Constituição Federal. O ministro Marco Aurélio é o relator da ADI 6243.

*Informações do STF

× Converse pelo WhatsApp Available from 08:00 to 18:00