Justiça suspende resolução do Cofen na área de estética

BOCEPREVIR (VICTRELIS)
BOCEPREVIR (VICTRELIS)
31 de outubro de 2017
Mães poderão escolher local do parto na rede municipal de saúde
16 de novembro de 2017

Ato médico

O Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp), juntamente com o Conselho Federal de Medicina (CFM) e demais Conselhos Regionais, conseguiu, por meio de Ação Civil Pública, a suspensão da Resolução Cofen nº 529/2016, que normatiza a atuação do enfermeiro na área de estética.

A Decisão do Tribunal Regional Federal da Primeira Região (TRF1) afirma que a Resolução do Cofen atribuiu competência aos enfermeiros não prevista na lei que regulamenta a profissão e que os procedimentos estéticos em questão “são de competência privativa dos médicos”.

A juíza federal Adverci Rates Mendes de Abreu, autora da Decisão, citou trecho da Lei nº 12.842/2013: “a indicação da execução e execução de procedimentos invasivos, sejam diagnósticos, terapêuticos ou estéticos, incluindo os acessos vasculares profundos, as biopsias e as endoscopias” são atividades privativas do médico (art. 4º, inciso XII).

A decisão aponta, ainda, que há urgência da medida uma vez que “intervenções estéticas por profissional não habilitado podem acarretar sérios danos à saúde das pessoas”. Confira, aqui, a decisão na íntegra.

Fonte: CREMESP

× Converse pelo WhatsApp Available from 08:00 to 18:00