Comissão aprova PLC que regulamenta profissão de instrumentador cirúrgico

Lei de Acesso à Informação no Judiciário é regulamentada
2 de dezembro de 2015
Contratante aposentado Plano de saúde pode alterar regime de custeio se mantiver cobertura
2 de dezembro de 2015

02/12/15

A Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE) aprovou nesta terça-feira (1º) projeto que regulamenta a profissão de instrumentador cirúrgico (PLC 75/2014). A relatora na comissão foi a senadora Marta Suplicy (PMDB-SP).

Pela proposta, que agora será analisada na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE), poderão exercer a profissão os que tenham curso específico de Instrumentação Cirúrgica, ministrado por escola oficial ou reconhecida pelo governo, ou os que tenham concluído um curso ministrado por escola estrangeira e que revalidem o diploma no Brasil.

Também poderão exercer a atividade os que, na data de entrada em vigor da lei, comprovem ao menos dois anos no exercício da função.

Passam a ser atribuições do instrumentador cirúrgico, de acordo com a proposta, ordenar e controlar todo o instrumental utilizado nas cirurgias, efetuar a assepsia dos materiais, além de preparar e desmontar as mesas cirúrgicas e depois fazer a guarda de todo o material. O projeto é do deputado licenciado George Hilton, atual ministro do Esporte.

De acordo com Marta Suplicy, “a regulamentação dessa profissão contribuirá para que a saúde no Brasil conte cada vez mais com profissionais qualificados para a prestação de um serviço de qualidade”. O projeto é do deputado licenciado George Hilton, atual ministro do Esporte. Ele argumenta na justificativa da proposta que “os instrumentadores cirúrgicos são os responsáveis nos procedimentos cirúrgicos, pela qualidade e a segurança dos pacientes, diminuindo o risco de infecções hospitalares e maximizando o sucesso das intervenções cirúrgicas”.

*Saúde Jur

Fonte: Agência Senado

× Converse pelo WhatsApp Available from 08:00 to 18:00