Usuários ainda pagam por medicamentos oncológicos cobertos

Quem é a ANS? O que ela faz?
18 de fevereiro de 2015
Militar aposentado com neoplasia controlada tem isenção de Imposto de Renda
24 de fevereiro de 2015

20/02/2015

Embora esteja em vigor a pouco mais de um ano, a Resolução 338 da ANS, que prevê a cobertura dos planos de saúde em medicamentos oncológicos via oral, muitos pacientes ainda pagam pelos remédios por desconhecer o benefício.

Segundo levantamento da Drogaria Nova Esperança, um dos principais varejistas de e-commerce farmacêutico, mais de 40% dos detentores de planos de saúde desconhecem a RN 338 e ainda desembolsam para adquirir os medicamentos.

“Procuramos informar nossos clientes sobre todas as regulamentações e resoluções dos órgãos de governo que tragam benefícios, já que se trata de uma obrigação de qualquer varejista do setor”, comenta Marcos Dávida, diretor da Nova Esperança. O valor desses medicamentos pode chegar a até R$ 15 mil.

O executivo revela ainda que empresa se preparou para atender o aumento da demanda por medicamentos oncológicos depois da publicação da Resolução. “Tivemos aument de faturamento nos oncológicos de  119% no último ano e conseguimos atender todos os pedidos, sobre tudo das gestoras de benefícios de saúde que atendem os setores corporativos”, revela Davida.

Fonte: Monitor Mercantil

× Converse pelo WhatsApp Available from 08:00 to 18:00