Médico é condenado por cobrar cirurgia coberta pelo SUS

Autorizado reajuste para planos individuais antigos
7 de agosto de 2014
Sindicato consegue liminar que suspende aumento nos planos de saúde do Santander
14 de agosto de 2014

10/08/2014

Cobrar por cirurgia coberta pelo SUS é crime de concussão (exigir vantagem indevida em razão de função pública) é estelionato. Assim decidiu a 1ª Vara Federal de Jales (SP), ao condenar a três anos e quatro meses de prisão mais multa um médico que exigiu de uma paciente pagamento para um procedimento coberto pelo sistema público de saúde. A pena acabou sendo convertida em prestação de serviços e interdição temporária de direitos.

Segundo o Ministério Público, autor da ação, o médico se aproveitou da situação da paciente, que sofria de hemorragias e precisava de um tratamento urgente. O réu, ainda de acordo com a Promotoria, informou que a mulher precisaria passar por uma cirurgia, que custaria R$ 3 mil. Caso optasse por não pagar, teria de esperar entre 3 e 4 meses na fila do SUS. 

 Ao ser interrogado, o médico alegou que, na verdade, a mulher teria pago por uma prótese que não era oferecida pelo SUS. Os depoimentos das testemunhas, no entanto, desmentiram a versão do réu.

Para o juiz federal Rafael Andrade de Margalho, o argumento do médico “não faz prova robusta apta a descaracterização dos crimes, o que enseja a sua pronta condenação”, afirmou.

Processo: 0000241-90.2012.403.6124

Com informações da assessoria de imprensa da Justiça Federal de São Paulo.

 

× Converse pelo WhatsApp Available from 08:00 to 18:00