Secretaria da Saúde de SP quer rever contratos com OSSs

OSSs de SP deixam de fazer 1 de cada 3 consultas
27 de maio de 2014
OSSs paulistas alegam dificuldade em conseguir médicos
27 de maio de 2014

26/05/2014

A Secretaria Municipal da Saúde admitiu que os contratos de gestão com OSSs, “assinados anteriormente a 2013”, têm controle de metas “frágil” e a ser revisto. A pasta diz que vai publicar ainda este neste semestre novos chamamentos para os contratos existentes, “com metas quantitativas e qualitativas mais objetivas, exigência de equipe mínima de profissionais e maior transparência no repasse dos recursos”. O primeiro deles foi publicado há duas semanas, para a região de Parelheiros.

“Os contratos assinados anteriormente a 2013 não traziam cláusulas que nos permitam efetuar descontos, caso não houvesse cumprimento de metas”, explica Francisco Ernane Ramalho Gomes, coordenador do núcleo técnico de contratação dos serviços de saúde de secretaria. Pelos novos acertos, a serem fechados em todas as regiões até dezembro, terão descontos de 10% no repasse as OSSs que não cumprirem pelo menos 85% da meta. “Além disso, se a entidade ficar abaixo durante três meses consecutivos, vamos reavaliar as metas”.

A Secretaria afirmou ainda que adotou medidas para reduzir o absenteísmo, ou seja, o não comparecimento de pacientes em consultas, e a perda primária, quando a vaga é ofertada e não é feito o agendamento. De acordo com a secretaria, após a implementação de uma central telefônica para confirmar as consultas com os pacientes, a perda primária caiu 50% e o absenteísmo, 17%.

Sobre a fila de espera de pacientes,a pasta afirma que caiu 13% em relação a dezembro de 2012.

Em relação à paciente Pedrina, disse que ela tinha uma consulta com o ortopedista agendada para segunda-feira da semana passada.

  

Fonte: Estadão

× Converse pelo WhatsApp Available from 08:00 to 18:00